18 de julho de 2010

Fórmula-3000 1988


Muitos apontam 1988 como o melhor ano da Fórmula-3000. E talvez tenha sido mesmo. Teve tudo o que um bom campeonato deveria ter: pistas legais, disputas, acidentes, pilotos talentosos, pilotos esforçados e pilotos sem talento algum.

A temporada contou com 11 corridas, 24 equipes, 69 pilotos (!), 5 fabricantes de chassi (March, Reynard, Lola, Dallara e Ralt) e 2 fabricantes de motores (Ford e Judd).

A Reynard chegou com o objetivo de interromper o domínio da March. Adrian Reynard investu pesado e a equipe desenvolveu um carro que parecia ser o favorito, antes mesmo de estrear.

O favoritismo da Reynard se confirmou logo na primeira corrida, em Jerez. A vitória ficou com Johnny Herbert, que pilotava para a Jordan Racing. Herbert e Eddie Jordan já haviam vencido a Fórmula-3 Britânica em 1987 e parecia que a parceria daria certo também na F-3000.


A segunda etapa aconteceu em Vallelunga, na Itália. A Lola deu o troco e a vitória ficou com Gregor Foitek, seguido por Bertrand Gachot e Olivier Grouillard. Herbert foi bem e chegou a pressionar Foitek, mas acabou perdendo o controle do carro e batendo, sofrendo um traumatismo craniano. Roberto Moreno terminou em 4º lugar.
A terceira prova ocorreu no circuito de Pau. Os 2 protagonistas da corrida anterior não alinharam no grid: Foitek teve problemas com o carro e Herbert ainda se recuperava de seu acidente. O caminho ficou livre para Moreno, que largou na pole e venceu com autoridade. Jean Alesi foi o 2º e Pierluigi Martini o 3º.

Em Silverstone, Moreno largou em 2º, ultrapassou o pole (Gachot), assumiu a liderança e venceu sua segunda corrida no ano. Foi o 2º e último pódio de Gachot na temporada. Para quem não está ligando o nome à pessoa, Bertrand Gachot é aquele cara que se envolveu em uma briga de trânsito em 1990, quando já estava na Fórmula-1. No ano seguinte, ele acabou preso e precisavam de alguém para subistitui-lo. Resolveram dar uma oportunidade a um certo Michael Schumacher. O resto é história...

A Fórmula-3000 chegou a Monza para a quinta etapa do campeonato. Fabien Giroix quebrou as 2 pernas ao bater no guard-rail. Moreno venceu mais uma. Pela primeira vez na história da F3000 um piloto conseguiu ganhar 3 corridas seguidas.


A prova seguinte também foi disputada na Itália, em Enna. E Pierluigi Martini, um italiano, venceu. Roberto Moreno foi tirado da pista por Gregor Foitek (guarde bem esse nome).

Brands Hatch era a próxima parada. A primeira fila tinha dois carros da Jordan, com Herbert na pole. Parecia que seria um fim-de-semana feliz para o britânico. Parecia...

Moreno foi colocado pra fora da pista outra vez. E novamente por Foitek. A corrida foi interrompida. Foi a terceira corrida consecutiva com badeira vermelha. O brasileiro nao voltaria para a segunda largada.

A segunda parte da corrida teve um acidente espeacular. Talvez o mais famoso da história da categoria.





Herbert foi tocado por... Foitek! Como vocês podem ver, o piloto suiço estava inspirado. Johnny rodou e bateu forte. O problema é que os 2 carros ficaram na pista e aí foi um verdadeiro deus-nos-acuda. Vários bólidos bateram e Foitek capotou várias vezes. Herbert quebrou os 2 pés, Foitek machucou a mão e Grouillard quebrou o tornozelo.

Foi feita um terceira largada com os poucos "sobreviventes" e Martin Donnelly ganhou, logo em sua estreia na Fórmula-3000.

Em Birmingham, outra corrida com acidente. David Hunt bateu e capotou. Foi acionada bandeira-vermelha pela quarta corrida consecutiva. A segunda largada foi dada, mas a prova foi interrompida novamente quando um dos carros ficou parado na pista e criou um engarrafamento.





Reparem que esqueceram de tirar o cara do carro antes de levanta-lo. Coisas da Fórmula-3000...

Depois, foi dada a terceira largada. Moreno venceu sem problemas, já que, coincidência ou não, Gregor Foitek não participou da corrida.

Em Le Mans, Olivier Grouillard fez a pole e venceu, em seu retorno após uma corrida de molho. Roberto Moreno chegou em 5º e conquistou o campeonato por antecipação. Foi o primeiro dos 4 títulos brasileiros na Fórmula-3000.





Em Zolder, o título já estava decidido e os pilotos queriam apenas mostrar serviço para, quem sabe, garantir uma vaguinha na Fórmula-1. Olivier Grouillard venceu mais uma.

Essa corrida marcou a estreia de Damon Hill, que largou em 18º e abandonou. Hill já não era nenhum garoto e se alguém disesse que ele seria campeão mundial alguns anos depois, seria internado em sala alcochoada.





A última corrida foi disputada em Dijon, na França. Martin Donnelly venceu e terminou o ano com um ótimo aproveitamento: 5 corridas, duas vitórias e dois 2º lugares.

Classificação:
1 - Roberto Moreno - 43 pontos
2 - Olivier Grouillard - 34 pontos
3 - Martin Donnelly - 30 pontos
4 - Pierluigi Martini - 23 pontos
5 - Bertrand Gachot - 21 pontos
6 - Mark Blundell - 18 pontos
7 - Gregor Foitek - 15 pontos
8 - Johnny Herbert - 13 pontos
9 - Éric Bernard - 13 pontos
10 - Jean Alesi - 11 pontos

Curiosidades:
* O campeonato contou com 2 irmãos de gente famosa: Cathy Muller (irmã de Yvam Muller) e David Hunt (mano do James Hunt).
* Johnny Dumfries era o conde John Colum Crichton-Stuart e chegou a ser companheiro de Senna na Lotus. Seus resultados na Fórmula-1 e na Fórmula-3000 nunca foram tão nobres mas, nesse mesmo ano, Dumfries ganhou as 24 Horas de Le Mans.
* Bertrand Gachot corria como belga. E foi assim até 1991, quando passou a competir como francês. Gachot, porém, não era nem uma coisa nem outra, pois nasceu em Luxemburgo.
* Antes de Moreno vencer em Monza, nenhum piloto havia vencido 3 provas em sequência.
* Pierre-Henri Raphanael ameaçou se suicidar, em razão das dívidas que contraiu ao longo do ano.
* Após seu segundo acidente, Herbert ficou de fora do restante do campeonato. No ano seguinte, foi contratado pela Benetton para disputar o mundial de Fórmula-1. Surpreendentemente, foi quarto colocado logo na primeira corrida!
* Dos 69 pilotos que disputaram o campeonato, 24 correram na Fórmula-1. Desses, 3 venceram corridas (Johnny Herbert, Jean Alesi e Damon Hill) e 1 foi campeão mundial (Hill).

4 comentários:

Verde disse...

Não sei dizer se esse é o melhor campeonato da história da categoria, Sidney. Teria tudo para ser, mas o excesso de acidentes simplesmente ofuscou o brilho daquele ano.

Lembro de mais alguns detalhes:
- Naquele ano, a FISA baniu um piloto da categoria unicamente por ele não conseguir enxergar em 3D, sofrendo de stereoblindness: o sueco Thomas Danielsson. Falo dele nesse link http://bandverde.wordpress.com/2010/07/07/clique-thomas-danielsson-hockenheim-1989/.

- Além de Herbert, Foitek e Giroix, outro piloto teve sua carreira seriamente afetada: o francês Michel Trollé. O cara era muito promissor, mas sofreu um violentíssimo acidente em Brands Hatch, quase morreu e teve de desistir do sonho da Fórmula 1. Acabou migrando para os protótipos.

- 88 foi o ano que teve mais inscritos em um grid da categoria. Se a memória não falha, teve corrida em que houve até 44 carros.

Além do sem-número de pilotos que acabaram indo para a F1, a F3000 daquele ano teve inúmeros pilotos experientes que não chegaram a lugar nenhum (Steven Andskar, Alfonso Garcia de Vinuesa, Alessandro Santin, Gary Evans) e ilustres desconhecidos (Enrico Debenedetti, Domenico Gitto, Eric Bellefroid, Daniel Campeau, Nino Famà) e por aí vai. Foi um ano sensacional.

A briga entre equipamentos também foi clássica. O Reynard era visivelmente melhor, mas a Lola melhorou sensivelmente até o final do campeonato. O March já estava bastante defasado.

E o título de Moreno dispensa comentários. Maior exemplo de superação na história do automobilismo.

Ivam Campos disse...

Foi um campeonato legal, do qual me lembo até hoje.

A Fórmula3000 dos anos 80 era BEM melhor que a dos anos 90, que por sua vez era infinitamete melhor que a dos ano 00

Otavio Ricardo disse...

É legal ver textos em portugues sobra a F 3000

valeu cara

TARCISIO disse...

Foi um grande ano, principalmente pela vitória do Roberto Moreno, e por uma equipe não tão forte na categoria (Bromley Motorsport)